Emissão de certificado de vacinação será mais rigorosa

Compartilhe
Tags

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) só vai emitir Certificados Internacionais de Vacinação e Profilaxia para quem comprovar que está com viagem marcada para países que exigem o documento.

A medida entra em vigor na próxima segunda-feira (17). A ideia é agilizar o atendimento para os cidadãos que realmente precisam do serviço. O certificado comprova a imunização contra febre amarela.

A lista de destinos que exigem a documentação está disponível na páginada Anvisa. Quem já tem o certificado não precisa trocá-lo ou renová-lo. Aqueles que já foram vacinados mas não têm o certificado precisam apenas agendar um horário em um posto de emissão do documento e apresentar o cartão nacional de vacinação com os dados da vacina.

A emissão do certificado é gratuita e feita em Centros de Orientação para a Saúde do Viajante, que ficam em portos, aeroportos, nas fronteiras do País e em hospitais e postos específicos do Sistema Único de Saúde (SUS), mediante o cartão de vacinação. Já a vacina é aplicada em postos de saúde.

Nos últimos quatro meses, a demanda pela emissão do documento aumentou, de acordo com a Anvisa. Até abril, foram liberados 345.550 certificados, quantidade que se aproxima do total emitido ao longo de todo o ano passado: 377.884.

Para agilizar a emissão do certificado, os interessados podem realizar um pré-cadastro. Atualmente, o posto da Anvisa no Aeroporto Internacional do Galeão (RJ) é o único que solicita o agendamento prévio no sistema.

Fonte: Portal Brasil, com informações da Anvisa